Thursday, December 10, 2009

Para conseguir respirar.

Não consigo respirar.
Há corvos por todo o lugar.
O bater de suas asas no teto batucam o som do desespero.
As paredes se fecham no meu estômago.
Meus pulmões.
Névoa cinza capitalizada que me rouba horas de vida;
põe na conta ou cobra da morte.
Não que eu me importe.
Deitar, ficar em pé, nada disso é opção.
Nada disso.
Filmes, livros, músicas; amortecem mas não esquecem.
Lembram.
Fractais formam formas factuais.
Lembranças?


Como respirar sem gás carbônico?
Como chorar sem sangue?
O maior dos planetas possui a maior das luas em um sistema de duas estrelas.
Um império de sujeira com seus súditos leais que povoam um universo de massa escura.
Corpos rochosos que não se tornaram planetas.
Crianças brincam de adulto a toda hora.
O sonho nem ao sono conforta. O travesseiro, talvez.
O horror.
O horror da hipocrisia que leva o civilizado a civilizar o bárbaro.
Pesco palavras da boca de ventríloquos e alimento meu surrealismo.
Para esquecer...
arranco fumaça de vidro,
arranco areia de brasa,
para esquecer o que se passa.
Para conseguir respirar...


...respirar uma palavra.

6 comments:

Audaci Jr. said...

De íntimo a metafisico em algumas linhas! A minha viagem foi grande nesse respiro pra simplismente conseguir uma só palavra (que não foi revelada): Transcedental! Parabéns...

Audaci Jr. said...

Em outras palavras: "Parabéns" porque é "ducaralho"! :-D

Larissa. said...

já comentei oq tinha que comentar.

HAHA

Sobre coisas que espero said...

Transcendental!!
Palavra exata pra 'signominar'

Parabens!
P.s: pra ser hexa, primeiro precisa ser penta

André Luiz said...

Muita parafernália. Vazio.

F/X said...

ou então, chatice.